• Time de Conteúdo . Amper

O processo de design de embalagem em 7 etapas para um resultado incrível no ponto-de-venda

As embalagens mantém o mundo organizado. Quer se trate de um simples pacotinho para os seus M&Ms, um cesto para a sua roupa suja ou a garrafa que contém as deliciosas partículas líquidas da sua cerveja, as coisas que colocamos dentro delas, são importantes.


Então, o que é embalagem de produto? O design da embalagem do produto refere-se à criação do exterior de um produto. Isso inclui opções de material e forma, bem como gráficos, cores e fontes que são usados ​​em embalagens, uma caixa, uma lata, uma garrafa ou qualquer tipo de recipiente.


É uma ferramenta prática, sim. (Quero dizer, de que outra forma você vai efetivamente colocar cerveja na boca?) Mas também é mais do que isso. Como qualquer bom design, a embalagem conta uma história. É também uma experiência sensorial, literalmente nos envolvendo através da visão, tato e som (e possivelmente cheiro e sabor, dependendo do produto / embalagem). Todos esses detalhes nos ajudam a entender para que serve o produto embalado, como deve ser usado, quem deve usá-lo e, talvez o mais importante, se devemos comprar um produto ou não.

3 pontos cruciais

Existem três perguntas para as quais você deve ter uma resposta antes de começar a projetar a embalagem de um produto:

  1. Qual é o produto?

  2. Quem está comprando o produto?

  3. Como as pessoas estão comprando o produto?


Informações e Insumos Essenciais


Depois de reunir todas as informações essenciais como:


Guia de utilização da marca:

  • Cores (Paleta de cores, pantones, CMYK, etc.)

  • Fontes (Tipografias primárias, secundárias)

  • Logotipo (Aplicações da marca)


Conteúdos do Rótulo:


  • Textos Isso pode incluir qualquer coisa, desde o nome do seu produto, slogan e os textos informativos obrigatórios.

  • Imagens Podem ser utilizadas ilustrações, fotos com sugestão de consumo, padrões gráficos da marca. Essas imagens poderão ser concebidas durante o processo criativo da embalagem ou pré-concebidas antes da arte final.

  • Marcas obrigatórias Dependendo do seu produto / indústria, pode ser necessário incluir um código de específico, informações nutricionais, selos de certificação, etc.

  • Dados Variáveis Alguns produtos - como alimentos ou cosméticos - possuem informações adicionais que precisam ser colocadas em diferentes lotes de produtos (datas de validade ou números de lote). É importante garantir que o espaço para uma impressão ou etiqueta a ser colocada posteriormente com essas informações.


Finalmente hora da parte divertida: o processo de design. Lembra que falamos que seu design de embalagem precisa contar uma história? As escolhas que você faz no processo de design são o que ajudarão a contar essa história.

O processo de design de embalagem em 7 etapas


1. Compreenda as camadas de embalagem

Existem três “camadas” de embalagem do produto: embalagem externa, embalagem interna e embalagem do produto. Seu produto pode precisar de um ou dos três. A embalagem externa é a primeira coisa que o cliente verá. É o que protege seu produto dos elementos. Isso pode incluir a caixa em que o produto é transportado ou um blister em que o item é colocado na loja.

A embalagem interna não se aplica em todos os casos, porque é o que mantém seu produto aninhado com segurança na embalagem externa, geralmente é utilizada em produtos frágeis ou finos. Podem ser bolinhas de isopor ou um papel de seda que evita que algo seja empurrado ou arranhado, por exemplo.

A embalagem do produto é o que a maioria das pessoas pensa quando pensa em embalagem: é a caixa em que o brinquedo vem, a garrafa com um rótulo, a etiqueta em uma roupa, o invólucro de uma barra de chocolate.


Cada uma dessas camadas de embalagem é uma oportunidade de impactar e de contar uma parte de sua história.


2. Escolha o tipo certo de embalagem


Existem muitos tipos diferentes de embalagens disponíveis para o seu produto:

Escolher entre uma caixa e uma garrafa, na imensa maioria das vezes, é uma escolha óbvia. Mas em alguns casos, não. Aqui estão algumas coisas que você precisa pensar ao selecionar o tipo certo de embalagem para o seu produto:


O produto Tudo sempre se volta para isso. Se você está vendendo algo líquido, isso limitará suas opções. (Mas não deixe que isso sufoque a sua criatividade).


Os Concorrentes

Todas as outras marcas colocam seu produto em uma lata? Você vai querer pensar muito antes de colocar seu produto em outra embalagem. Porque isso impacta em custos, transporte e exposição. Por um lado, poderá fazer você se destacar, o que ajudaria a se diferenciar. Por outro lado, os consumidores estão acostumados com latas e os supermercados estão configurados para estocar latas em sua seções, o que pode significar alguns obstáculos importantes à serem vencidos.


O orçamento Você pode ter uma ideia incrível de como venderá seus produtos em uma caixa em formato super especial e acabamento diferenciado. Mas se o seu orçamento for de centavos por peça, isso provavelmente não será viável. Lembre-se de sempre manter o cliente ideal em mente: se os seus produtos forem vendidos por um valor unitário de algumas dezenas de reais cada, uma caixa simples e barata é provavelmente sua melhor aposta. Mas se eles forem artesanais, com acabamento premium e que você está vendendo por algumas centenas, vale a pena aumentar seu orçamento e ir para aquela caixa de luxo com uma faca especial.


3. Requisitos de Impressão


Imprimir não é algo que você fará até que o design esteja concluído. Mas você deve pensar bem antes de chegar a esse estágio. A pré-definição de uma gráfica ou fabricante não só garante que você tenha custos de impressão competitivos, mas também fornece informações específicas essenciais para o seu designer preparar os arquivos corretamente.


Entre os principais requisitos de impressão que devem ser pré-definidas estão: tipo de impressão (off-set, clichê, digital), cores (pantone, CMYK, PB), papel (fosco, brilhante, gramatura), formato (dobras, cortes, encaixes) entre outros.


4. Crie sua arquitetura de informação


Pense nessas perguntas, especificamente: quem está comprando seu produto e onde eles o encontram?


Você vai usar isso para criar a arquitetura de informações do seu pacote. Você pode ter belas fotos de seu produto em ação, um depoimento brilhante de um cliente, um slogan inteligente que explica como você é incrível e um gráfico excelente mostrando aos clientes como usar seu produto.


Mas quando um comprador olha para a sua embalagem no ponto-de-venda, provavelmente só vai registrar uma informação principal.


O que você quer que ele registre como PRIMEIRO IMPACTO?


Escolha a coisa mais importante que você deseja que os clientes saibam sobre o seu produto, a informação visual ou textual que o chamará para a ação e consequentemente a venda. Essa deve ser a peça central do design da sua embalagem.


Por exemplo, se o principal atributo do seu produto é o fato dele ser ORGÂNICO, essa é a principal informação em destaque. Mas se você vende um HAMBÚRGUER pra MATAR A FOME de PREPARO RÁPIDO, destaque uma foto de um lanche "monstro" bem suculento e a segunda informação mais importante pode ser a ilustração de um RELÓGIO com o tempo de preparo.

A Amper desenvolveu para Água de Coco Amambi, um re-design de embalagem onde identificamos durante sessões de Design Thinking, Pesquisas e Entrevistas, que o principal atributo de destaque do produto deveria ser a Água de Coco em estado puto, sem qualquer adição de conservantes ou misturas. Em posse dessas informações, foi definido que o design criado para o rótulo deveria ser minimalista e destacando a informação "Água de Coco e nada mais" até mesmo em relação a própria marca ou ilustração da fruta. Veja o case completo aqui.


5. Avalie o design de embalagem


Você teve ótimas ideias criativas. Agora, é hora de pegar alguns feedbacks. Aqui estão algumas coisas sobre as quais você deve pensar:


Está claro qual é o seu produto? Quando você olha para a embalagem, fica claro o que o produto faz e para quem se destina? Os compradores só vão gastar dinheiro com coisas que entendem. Certifique-se de que sua embalagem não se pareça com outra coisa (a menos que seja muito intencional). Você definitivamente não quer confundir seu consumidor.


A embalagem é uma representação honesta do seu produto?

Uma das piores coisas que você pode fazer é representar mal o seu produto na embalagem. Certifique-se de que as fotos na embalagem sejam realmente fotos do produto. Claro que você pode e deve mostrar seu melhor ângulo, mas se você mostrar uma imagem de cookies recheados com gotas de chocolate e houver na verdade apenas 1 gota em cada um de seus cookies, um cliente se sentirá enganado (com altas chances de postar isso nas redes sociais e provavelmente não comprará de você novamente).


Qual será a aparência deste pacote em 3D?

Um bom designer deve apresentar o design, pronto para impressão (plana) e em 3 dimensões, chamamos isso de Mock-up Digital. Também podemos criar mock-ups imprimindo em papel e montando o que chamamos vulgarmente de "boneco". Isso ajudará você a perceber coisas que de outra forma não faria. Às vezes, uma imagem ficará ótima num plano, mas péssima quando for para a dimensão real. Certifique-se de entender essa diferença.

Exemplo de Mock-up Digital criado pela Amper

Qual será a aparência desse pacote nas lojas? O impacto na prateleira é muito importante para produtos vendidos nas lojas. Você deve considerar:

  • Quanto da embalagem ficará visível? Quando os produtos estão alinhados lado a lado, geralmente você só pode ver uma face. Certifique-se de que suas informações mais importantes estejam em destaque.

  • Como será quando esses produtos forem empilhados um ao lado do outro? Existe um padrão criado? Você quer que haja?

  • Como será isso em comparação com a competição? Vá a uma ou mais lojas onde seu produto será vendido e descubra onde seu produto seria colocado. A maioria dos produtos tem uma cor? Como você fará o seu se destacar e ser notado?


Este design é versátil? Você pode ter apenas um sabor do famoso molho picante da "Tia Amélia" no momento, mas no futuro você pode querer criar o infame molho de búfalo e o molho caesar secreto também. Seu design será facilmente modificado para acomodar novas variações de seu produto?

Família de Produtos Arroz Raroz - Embalagens criadas pela Amper. Confira aqui o case.


A sua embalagem é reutilizável? Isso pode não ser importante para todos os produtos, mas você pode querer considerar se sua embalagem pode ser reutilizada (e se você quiser). Por exemplo, sua bolsa pode ser transformada em uma sacola de supermercado? Marketing grátis! Se você vende chocolates, a caixa de bombons pode ser transformada em um brinquedo de montar para crianças?


6. Colete feedback

Antes de você decidir 100% sobre o design de sua embalagem, certifique-se de apresentar aos principais interessados ​​e por pessoas que nunca ouviram falar ou usaram seu produto também.


As pessoas não intimamente associadas a produto perceberão coisas que você nunca pensou. Considere perguntar a eles:

  • O que este produto faz?

  • Quem deve comprar este produto?

  • Qual é a mensagem principal que você recebe ao olhar para esta embalagem?

As respostas a essas perguntas o ajudarão a determinar se a embalagem está comunicando o que você deseja. Se não for, repense o design e descubra o que você pode melhorar.


7. Obtenha os arquivos nos formatos corretos


Você aprovou a arte de sua embalagem. Agora, verifique se você tem os arquivos corretos. Você provavelmente precisa de:

  • Arquivos Finalizados de embalagem em formato vetorial. Provavelmente será um arquivo Adobe Illustrator (.ai), .pdf ou .eps. Você precisará de um para cada variação da embalagem que estiver criando.

  • Códigos de cores. Se a sua gráfica usa cores personalizadas, certifique-se de ter os códigos de cores Pantone ou CMYK para que tudo fique com a aparência que você deseja.


Glossário de design de embalagem

O que significa? Aqui está um guia rápido para alguns termos comuns de design de embalagem:


Arquivo Adobe Illustrator (AI) - Adobe Illustrator é um programa de design usado para criar imagens vetoriais (que você precisará para imprimir). Os arquivos criados neste programa possuem uma extensão .ai. Você precisará do Adobe Illustrator para abrir esses arquivos. (Se você não tiver, tudo bem! Sua gráfica terá.)


Códigos de barras (EAN13 e EAN14) - os códigos de barras são grupos de linhas em qualquer pacote. Eles possuem dados legíveis por laser que armazenam informações sobre o produto, incluindo o preço. Existem vários tipos diferentes de códigos de barras, incluindo UPC (Código de Produto Universal) - o código de barras predominante na América do Norte - e o EAN (Número Internacional de Artigo (era originalmente "europeu", daí o E) - um código de barras global. O EAN13 é utilizado nos produtos e o EAN14 nas caixas de embarque/transporte. Você deverá adquirir estes códigos antes de imprimir sua embalagem.


Sangria - Na impressão, você usa um "sangramento" quando a arte vai até a borda do papel (ou caixa ou invólucro). Nesse caso, os designers irão adicionar um pouco de borda extra (o “sangramento”) para que quando a arte for impressa e cortada no tamanho certo haja espaço para erro se os cortes estiverem alguns milímetros fora e não ficarem filetes brancos nas bordas.


CMYK - Significa ciano (azul), magenta (vermelho), amarelo e blacK (preto). Essas são as quatro cores usadas na impressão. Cada cor possui um código CYMK que uma impressora usará para ajudar a combinar as cores entre o design e a embalagem final.


EPS - Significa postscript encapsulado. Esta é uma extensão de arquivo para imagens baseadas em vetor. Geralmente, eles só podem ser abertos em programas especializados de design gráfico.


Impressão digital - Um método moderno de impressão em que as informações sobre o arquivo são enviadas digitalmente para uma impressora e cada embalagem é executada individualmente por meio dessa impressora. A impressão digital é ótima para pequenas tiragens e tempos de entrega curtos. Muitas vezes, a impressão offset mais tradicional é mais acessível para grandes tiragens.


Impressão offset - Técnica de impressão em que as placas do seu design são criadas em quatro cores (CMYK). Essas placas passam então por uma grande impressora industrial. A impressão offset tem altos custos de configuração (ou seja, as chapas precisam ser criadas), mas em grandes volumes (geralmente mais de 1.000 peças) é mais econômica.


Pantone - A Pantone é uma empresa que criou o Pantone Matching System (PMS). O PMS é um catálogo de cores de impressão padronizadas. Cada cor tem um número atribuído e pode ser reproduzida de forma quase idêntica por qualquer impressora.


PDF - Significa formato de documento portátil. É um formato de arquivo versátil que pode ser vetor. Oferece suporte a imagens e texto. Os PDFs podem ser abertos em qualquer computador.


Bitmap - as imagens em bitmap são compostas de milhares de pequenos pontos (pixels). Como tal, não podem ser ampliadas e precisam estar em alta resolução para que possam ser impressas.


RGB - Significa vermelho, verde e azul, as três cores primárias (que podem ser combinadas para criar todas as outras cores) na luz e, portanto, em telas digitais. Os códigos RGB ou hexadecimais são usados ​​para identificar cores em espaços digitais; eles podem ser convertidos em códigos de cores CMYK e Pantone para impressão.


Tipo de arquivo vetorial - as imagens vetoriais são compostas por linhas. Podem ser re-dimensionadas sem qualquer perda de qualidade.

fale conosco

Telefone

+55 11 3569 6680

e-Mail
hello@amper.ag

Fornecedores e Currículos

trampos@amper.ag
 

Oportunidades de Mídia
midia@amper.ag

Endereço

Alameda Santos, 1909 • 2º andar • 01419-100 Cerqueira César • São Paulo • SP

gold-horizontal-white.png
  • YouTube
  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone LinkedIn
Logo_Amper.png